A comunidade de Palmeia situada no município de Muzambinho, recebeu no dia no último dia vinte o ‘Dia de Campo’ organizado pela Fundação Hanns R. Neumann Stiftung do Brasil e sua parceira da região, Stockler Ltda. Com o propósito de levar informações, tecnologias de baixo custo e desenvolvimento da resiliência aos produtores em relação às mudanças climáticas, a HRNS desenvolveu várias técnicas com um pequeno produtor de café, indicado pela Stockler. Esse foi o primeiro passo para que, após consolidadas as técnicas, estas servissem de modelo para o maior número de produtores possível, como ocorreu no dia de campo.

As principais técnicas abordadas no evento foram: (1) fossa séptica, implantada na casa do produtor, (2) plantio de cobertura nas linhas do cafeeiro, (3) cercamento da área de preservação permanente (APP), além de outras que foram discutidas (coleta de dados climáticos, uso racional de defensivos e adubos minerais, utilização de mudões para plantio etc).

RS2792_DSC_1455

O evento contou com a presença de 30 pequenos cafeicultores da região que aprovaram o trabalho feito pela Fundação e ficaram muito interessados em fazer parte de outros projetos como voluntários para o desenvolvimento de projetos pilotos da iniciativa Café&Clima na região e demais técnicas trabalhadas pela Fundação.

“Antes, nós gastávamos muito dinheiro com a instalação de fossas sépticas e não tínhamos conhecimento do funcionamento e nem da sua qualidade. Após este dia de campo, estamos com maior conhecimento sobre todas as técnicas, destacando a fossa séptica, com a qual podemos agora diminuir nossos gastos. Foi muito importante a Fundação Neumann fazer este trabalho em nossa região, já que nos mostrou como é fácil e importante termos estas técnicas para que possamos desenvolver nossa cafeicultura com sustentabilidade, respeitando o meio ambiente. Obrigado a Fundação Neumann e a Stockler”.

Sr. Sylvio, proprietário do sítio onde fizemos os trabalhos.

RS2787_DSC_1450

Gostaríamos de agradecer a Stockler pelo apoio e ao Sr. Sylvio, por acreditar no trabalho da Fundação e nos acolher tão bem, cedendo o seu sítio.

Por Mateus Queiroz e Fernanda Faria – HRNS do Brasil