A HRNS do Brasil implementa as ações da Iniciativa Café & Clima  em regiões cafeeiras de Minas Gerais desde o ano 2010. A c&c é uma plataforma público/privada formada por membros da cadeia de abastecimento do café e agências públicas de governos europeus, orientados a apoiar produtores de café para que respondam de maneira eficiente às mudanças climáticas.

O objetivo  é identificar opções práticas que ajudem a aumentar a capacidade de adaptação dos agricultores familiares e de seus sistemas de produção em detrimento aos desafios das mudanças climáticas. As medidas de adaptação são boas práticas agrícolas que ajudam a diminuir os efeitos negativos dos eventos climáticos extremos em nível de lavoura e comunidade.

Cercado para protecao de aquíferos na propriedade

Cercado para protecao de aquíferos na propriedade

No Sul de Minas os riscos climáticos identificados por produtores, extensionistas e pesquisadores foram: aumento dos extremos de temperatura, mudanças nos padrões de chuva, ventos fortes, períodos prolongados de seca, granizo e geadas. Para enfrentar estes desafios, a iniciativa c&c juntamente com instituições parceiras promove: (1) uso de culturas de coberturas e adubação verde, (2) incorporação de matéria orgânica, (3) barreiras quebra-vento, (4) conservação de área de Preservação Permanente (APP), (5) uso de muda produzida em sacola profunda no plantio (mudão), (6) aplicação de dose elevada de gesso, (7) coleta de dados climáticos no local, (8) construção de bacias de contenção, (9) melhoramento de estruturas de secagem, (10) coleta de água da chuva, e (11) seguro agrícola.

Em relação à APP – conjunto de práticas ambientais incluídas na Lei 12.651/12 – os produtores têm como obrigação delimitar e manejar as áreas de preservação permanente como é o caso das nascentes e cursos de água de acordo com o número de módulos fiscais da propriedade. Áreas degradadas ou com algum risco de degradação também devem ser manejadas e recuperadas de modo que fragmentos de vegetação nativa também devem ser preservados.

fossa séptica para o tratamento de esgoto doméstico

Fossa séptica para o tratamento de esgoto doméstico

Através da iniciativa c&c existe uma promoção a adequação das propriedades para o cumprimento da lei ambiental. Por meio de visitas de assistência técnica, técnicos da HRNS do Brasil e entidades parcerias delimitam as áreas de preservação e avaliam as ações a serem implementadas. Posteriormente, existe o acompanhamento feito junto aos produtores na aplicação de práticas que incluem: cercado para a proteção das nascentes e os cursos de água, enriquecimento florestal nas áreas de proteção, florestamento de áreas degradadas e instalação de fossas sépticas. Esta última é uma estrutura para o tratamento de águas do esgoto doméstico e a devolução desta água no ambiente sem a presença de organismos contaminantes, como os coliformes fecais.  As águas de esgoto não tratadas constituem um risco humano e ambiental pela possível contaminação de água superficial, subsuperficial e subterrânea quando não tratada.

 Na primeira fase de construção de propriedades modelo, a iniciativa c&c tem protegido 22 nascentes, 58 ha de área de proteção de e 2.000 metros de córregos e riachos, 10 ha de reflorestamento com espécies nativas e 18 fossas sépticas instaladas no Sul de Minas. Além disso, nas propriedades se realizarão dias de campo para sensibilização dos produtores e cursos de capacitação para a implementação e difusão cada vez mais efetiva destas práticas no meio rural.

Max Ochoa – Diretor Técnico e Beatriz Rosa – Coordenadora de Monitoramento e Avaliação

^90861C2209F1634F1ED620F3829C82F328F05C87BEF0A7F966^pimgpsh_fullsize_distr